fbpx Skip to main content

A importância da gestão para os Salões de Beleza

Gerir bem uma empresa é uma das primeiras obrigações do empresário. Receba nesse post dicas para a Gestão do seu Salão de Beleza e também para adequação à Lei do Salão Parceiro.

Entender como funciona a gestão para os Salões de Beleza, especialmente aqueles que adoram o regramento do Salão Parceiro, é algo fundamental para o processo organizacional e para o desenvolvimento desta atividade no mundo dos negócios.

Sendo assim, irei apenas abordar sobre o processo gerencial, mas também irei explanar um pouco sobre este regramento que vigora desde janeiro de 2017, a Lei do Salão Parceiro.

 

O que determina a Lei do Salão Parceiro?

A lei do salão parceiro entrou em vigor em janeiro de 2017, Lei Nº 13.352/2016, esta permite que barbearias, salões e clínicas de estética contratem profissionais como parceiros, dispensando a assinatura da carteira de trabalho.

Esta lei determina que seja realizado um contrato contendo as informações sobre os percentuais de valores destinados a cada uma das partes, a retenção e recolhimento de tributos, além do período que será realizado o pagamento.

Além disso, deverá constar no contrato também as normas de uso para manutenção e higiene dos materiais para realização dos serviços, funcionamento do negócio e atendimento aos clientes.

Para que este contrato possua validade legal, deverá conter todas as informações mencionadas acima, assinatura presencial de duas testemunhas, e, também, a homologação da entidade sindical. Feito isso pode-se considerar concluído o processo que define o contrato de parceria.

É importante esclarecer que a Homologação Sindical não pode ser substituída por reconhecimento de Firma em Cartório. Reconhecer a assinatura não substitui a Homologação do Sindicato para fins de adequação ao Regramento do Salão Parceiro.

 

Qual a importância da gestão para os salões de beleza?

Embora muitos acreditem que a gestão de um negócio se deva apenas em grandes estabelecimentos, através de um administrador formado e que tenha experiência no ramo, podemos garantir que não é assim necessariamente.

Todo estabelecimento independente do porte deverá ter uma gestão eficiente preocupado com assuntos que transcendem os da qualidade dos serviços ou dos produtos que são ofertados.

A questão não é que não seja prioridade a qualidade do serviço, pois é muito importante, mas saber gerir um Salão de Beleza de forma adequada garante um aumento de lucratividade.

Veja alguns pontos relevantes que precisam ser observados:

  • Planejamento – É importante realizar um projeto para as suas ações, seja para empresas novas ou para aquelas já existentes. Você conhecerá mais sobre o investimento realizado, concorrência, produtos e equipamentos, preço a ser cobrado etc;

 

  • Público Alvo – Análise da localização e o público alvo que serão destinados os serviços, além de verificar a média de preços daquela localidade, levando em conta os custos operacionais;

 

  • Equipe – Aqui será determinado como será realizado a relação de trabalho, se funcionários ou parceiros, dependendo do que for determinado, é bom deixar bem esclarecido como será estabelecido. Se optarem por contrato de Parceria, não esqueça de seguir todas as minhas orientações;

 

  • Marketing – A propaganda realmente é alma do negócio e aqui não é diferente, portanto, deverão ser realizadas várias ações em vários canais para ofertar os serviços que dispõem. Você está utilizando as redes sociais como deve?

 

  • Financeiro – Talvez o mais importante, pois deverá ser realizado um acompanhamento de todo o financeiro do salão, ou seja, os valores de entradas e saídas.

 

  • Software e novas tecnologias – Você está antenado a tudo que sai de novo? O seu salão já permite agendamento diretamente pelo cliente em aplicativos? Você controla sobre a Lei do Salão Parceiro por um software?

 

Futuro

Enfatizamos assim a importância de gerir um Salão de Beleza determinando não só como serão cobrados os serviços ou como serão estabelecidos os vínculos empregatícios, mas planejando e organizando as finanças de forma geral.

Salientamos ainda que caso o empreendedor não se sinta seguro em realizar a análise do financeiro, é importante que procure um profissional para auxiliá-lo, que está disponível na figura do contador ou de um escritório contábil.

Além disso, não podemos esquecer que o contador pode auxiliar desde o processo de abertura da empresa até o acompanhamento do financeiro da empresa, como também nas dúvidas sobre a lei do Salão Parceiro.

Pense no futuro, não apenas no hoje.

 

Gostou? Compartilhe.

Ficou com dúvidas? Comente aqui.

Alexandre Silveira

Alê é um entusiasta que te ajuda a construir a empresa e a vida que você ama!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *